Cascudo Borboleta




Nome Científico: Pterygoplichthys multiradiatus

Nome popular em português: Cascudo Borboleta.

Nome Popular em inglês: Butterfly Pleco, Long-Fin Armored Catfish, Orinoco sailfin catfish, Catfish Sailfin, Catfish Sailfish.

Família: Loricariidae

Distribuição: América do Sul, Bacia do rio Orinoco. Introduzido na Tailândias, EUA e Havaí.

PH: 6,5 - 8,0

Dureza: 4 - 20

Temperatura: 23 ° C - 27 °C

Tamanho adulto: 50 cm (comum 40 cm)

Sociabilidade: Pacífico

Manutenção: Fácil

Zona do aquário: Fundo

Aquário mínimo: 200L

Alimentação: Onívoro, com tendência ao herbívoro. Legumes, e rações especializadas para peixes de fundo.

Características: Peixe tropical, pertencente a família Loricariidae. Seu nome científico "Multiradiatus", faz referencia aos muitos raios, presentes em sua nadadeira dorsal.

Uma das espécies, erroneamente referidas por aquaristas, como sendo um "Cascudo comum", e/ou "Cascudo Abacaxi", devido a confusão deste, com o Hypostomus plecostomus, e o Pardalis Pterygoplichthys.

É comumentemente encontrado na cor marron, e preta. Habita riachos, e lagos de agua doce, de fundo lamacento. Possui hábitos noturnos, sendo um peixe predominantemente de fundo. E um voraz comedor de algas, plantas aquáticas, larvas, insetos, e invertebrados de fundo.

Em ambiente natural é encontrado no tamanho máximo de 50 cm; em aquários, a depender do porte em que for introduzido, e espaço propiciado, pode chegar aos 30-40 cm.

Deve ser mantido apenas um exemplar por montagem, pois apesar de ser uma espécie relativamente pacifica, para com ciclídeos americanos jumbos, e outros peixes de grande porte, costuma disputar vigorosamente por algas, entre semelhantes, o que pode vir a ocasionar conflitos.

Devido ao tamanho, que atinge quando adulto, necessita de um grande tanque, com muitas rochas e troncos, preferencialmente proporcionando um sombreado, para que possa, refugiar-se durante o dia.

Dimorfismo sexual e características reprodutivas:

Variações e diferenças morfológicas entre os sexos, não são claramente perceptíveis. A fêmea atinge a maturidade sexual, em torno dos 25 cm; a época de reprodução comum a espécie, vai de março à setembro. No entanto, alguns indivíduos, são capazes de reproduzirem-se, entre outubro e fevereiro.
Existe uma predominância, de exemplares fêmeas, dentre as crias. O que justifica, a rápida proliferação em ambientes naturais. Devido ao grande numero de matrizes férteis.

Durante o estagio reprodutivo, fica mais fácil, de se analisar as características que apontam o dimorfismo, pois as fêmeas tornam-se mais pesadas, e alargadas que os machos, devido ao grande numero de ovos contidos.

Curiosidades: Em Taiwan, onde este tornou-se uma verdadeira praga, são capturados na época de reprodução, na tentativa de se conter a proliferação. Sendo os exemplares vendidos, por uma bagatela nas feiras municipais.

Ficha por: Nélio Júnior
Foto por: Nélio Júnior